Na integração entre vendas e marketing de conteúdo, os vídeos são essenciais

À medida que os clientes e os compradores continuam a fazer mais pesquisas on-line, as organizações mais maduras e estruturadas continuam a integrar vendas e marketing de conteúdo. O objetivo, claro, é garantir que quando os clientes busquem os prós e, principalmente, os contras de seus produtos e serviços, encontrem seu próprio conteúdo para sanar dúvidas e lhes dar confiança na tomada de decisão.

Hoje é comum termos estratégias de produção de conteúdo que buscam responder desde as dúvidas mais precoces e superficiais na jornada de consumo de novos clientes até as questões mais profundas e complexas de usuários que já passaram a etapa de compra e que estão “se relacionando” com o produto adquirido.

Artigos, infográficos, cards, e-books e vídeos ajudam a educar o consumidor e criam confiança em torno da compra. E dentre todos estes tipos e formatos, podemos dizer que o conteúdo em vídeo tornou-se indispensável nos últimos anos.

De acordo com um estudo recente da Forbes, a utilização de vídeos está se tornando essencial nas estratégias de comunicação digital:

  • Mais de 80% das pessoas entrevistadas afirmaram que estão assistindo mais vídeos on-line hoje do que há um ano;
  • 75% dos executivos entrevistados disseram assistir a vídeos relacionados ao trabalho pelo menos semanalmente, sendo que mais de metade (52%) assistem estes vídeos no YouTube;
  • No geral, 65% visitaram o site de um vendedor depois de assistir um vídeo.

Outra pesquisa de comportamento do consumidor realizada pela Hubspot confirma esta tendência. Mais de metade dos usuários dizem que eles consomem um vídeo inteiro, em comparação com 29% para blogs e 33% para artigos interativos. Se você quer que sua mensagem inteira seja consumida, o vídeo tende a ser o meio preferido.

Quando você combina alta capacidade de produção com tecnologia, o vídeo pode oferecer uma grande flexibilidade, com base nos interesses do usuário e outros detalhes que você conhece sobre eles.

Foi observando este movimento que decidimos por investir na criação de um estúdio próprio em 2015. Como especialistas em comunicação digital, sentimos que a velocidade de consumo do conteúdo era superior à capacidade de entrega do modelo de produção existente no mercado. Na era do conteúdo líquido, é necessária grande agilidade para se tirar ideias do papel e “colocá-las pra rodar”. Muitas vezes captando em um dia, editando e publicando no outro.

E neste novo universo de abundância de informação e de experimentação constante, não há espaço para extravagâncias nos custos de produção. Por isso construímos um modelo de serviço que, além de ágil, nos permite testar muito sem pesar no bolso dos clientes, e ao mesmo tempo, propiciar uma evolução constante no relacionamento e no envolvimento das marcas com seus consumidores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *